Documento sem título


Untitled Document
Documento sem título
Documento sem título
HISTÓRIA

O PONTE PRETA É MACHO!

No ano de 1933 com a desativação do Esperança F.C. tradicional Clube de futebol de Jacareí, um grupo de esportistas no dia 31 de janeiro daquele ano, comandados pelo saudoso Alfredo Schurig , resolveram fundar um novo clube de futebol, que recebeu o nome de PONTE PRETA FUTEBOL CLUBE, cujo nome foi inspirado na ponte de madeira nas cores branca e preta que ligava a parte central do município ao bairro de São João.

Alfredo Schurig que possuía uma majestosa residência as margens do Rio Paraíba doou uma área do outro lado do rio (hoje Jardim Leonídia) ao Ponte. Registre-se que na mesma ocasião, o Sr. Alfredo Schurig, corinthiano e esportista fanático, também presenteou o Corinthians Paulista com área onde hoje está implantado o Estádio Alfredo Schurig (o Parque São Jorge). No local foi construído um lance de arquibancadas e muros com cerquinhas de madeira ao redor do campo de futebol, que foi palco de grandes conquistas, sendo as mais importantes na década de cinqüenta.

O Ponte foi um grande vencedor participando dos grandes campeonatos regionais e estaduais, onde despontaram valores, como Aristeu Turci, Milton Cai Cai (hoje presidente do Elvira), Didi, nosso ex-presidente, Pascoalzinho, Xavantes, Alemão e tantos outros. O futebol na época era o esporte mais praticado pelo Ponte, aliás, criado para praticá-lo. Os associados do Ponte, participaram de reuniões dançantes e recreativas em salões que eram locados pela diretoria.

Em 1973, quarenta anos depois a primeira grande derrota do Ponte, os herdeiros do Sr. Schurig, após uma grande batalha jurídica conseguiram “tomar” o campo do alvi-negro. Apesar deste golpe a equipe de futebol do Ponte Preta não parou, o clube prosseguiu sua luta e passou a treinar no campo da Liga Jacareiense de Futebol, cujo presidente era o Sr. Nicola Capucci, que também foi um dos grandes presidentes do alvi-negro.
Os presidentes que passaram pelo Ponte entre eles, Orácio de Souza, Jorgino Malid, Galo, Juvenal Sapateiro e outros, verdadeiros heróis alvi-negros e responsáveis pelo sucesso até aquele ano, foram substituídos pelo gigante (que hoje, graças a Deus, continua entre nós) o Prof. Fernão Leme Paes Zamith (na ocasião diretor da E.P.A.) que adquiriu o terreno no Jardim Santa Maria para erguer o novo estádio pontepretano.

O Ponte Preta sofreu um novo abalo e seu campo (seu patrimônio) foi desapropriado pela Prefeitura Municipal (através do Decreto 59 de 30/08/73. Na ocasião o prefeito era o Sr.António Nuns), que pagou, ou queria pagar um valor insignificante, o presidente do Ponte em exercício contestou e foi iniciada uma nova batalha judicial. A Prefeitura Municipal de Jacareí, construiu as arquibancadas no terreno e em 1981 no final se sua gestão o prefeito BSL reconstruiu parte das arquibancadas, dos muros, construiu as pistas de atletismo, e colocou os alambrados ao redor do campo. Durante este período o Ponte continuava “vivo” e lutando.
Somente em 1984, recebia de volta o seu patrimônio, (gestão do Sr. Joel Alves Barreto). Consolidava a posse, o Ponte voltou a crescer, foram realizadas campanhas para reativação do quadro de sócios e construídas as piscinas, quadras de basquete, sede social, estando na presidência o saudoso Benedito Prado.

O nosso Ponte Preta do passado que tem suas glorias e vitórias representadas nos troféus conquistados, orgulho de todos nós e hoje uma força viva no esporte e na área social. Praticando quase todas modalidades esportivas, entra no Ano 2.000, com a certeza de continuar o ideal de seus fundadores, ser forte e vibrante. Se hoje não existe a força do futebol do passado, temos a sua majestosa Praça Esportiva, sede social, parque aquático e setor recreativo, que demonstra a fibra, o valor e a luta incansável dos dirigentes de hoje, que correspondem a vontade dos pioneiros que iniciaram a história do glorioso alvinegro.
E hoje acrescentamos que: “O Ponte Preta parte para o 3º milênio, com invejável patrimônio, nas mãos de homens que hoje o dirigem, sob o comando do seu presidente e diretoria, cientes da grande responsabilidade que é passa-lo às mãos das novas gerações de pontepretanos, que saberão conduzi-lo sempre a glorias e a eternidade.”

s

E para que você entenda o titulo desta pequena história do grande Ponte Preta, ratifico....
“O Ponte Preta é macho!”

J.Pereira – sócio nº98

 

Documento sem título
Avenida Orual Salvador, 159, Jardim Santa Maria - Jacareí/SP - Fone: (12) 3952-1066
Todos Direitos Reservados - PONTE PRETA FUTEBOL CLUBE - Criação e Hopedagem:ADAWEB